Saturday, April 16, 2011

μετάνοια afterword

That's it. METANOIA is over.

Before the final curtain is drawn, I'd like to thank you, dear readers, for following this comic. I hope you had at least as much enjoyment reading it as I had creating it. Originally, the comic that came to be called METANOIA was supposed to be just another clichéd adventure story set a long, long time ago in a faraway place where the hero saves the girl and both live happily ever after. Then, as I began working on the thumbnails of the pages on my sketchbook, still trying to make sense of all the loose threads for the story I had in mind, something happened: the story and characters started to change, to suggest different directions in which to go... and I decided to go along with it and be surprised, hopefully taking you in as many surprises as myself!

If you want to read the whole story in one neat site without any other different posts in the middle, you can go to http://metanoiacomic.blogspot.com/

As for the near future, this blog will proceed along with its usual heterogeneous mixture of drawings, writings and videos.

Labels: , , ,

2 Comments:

Blogger lopo said...

Gostei muito, o formato da maioria das tiras dão à historia um aspecto altamente cinematográfico e épico não achas? só um reparo, na prancha 28 trocava a segunda tira com a primeira... bem mas como está também resulta bem. O final é dramático! parabéns Pedro! :)

4:53 PM  
Blogger Pedro Cruz said...

Muito obrigado! Fico muito contente por teres gostado e teres partilhado aqui o teu comentário.

O formato da maioria das pranchas, com 3 tiras horizontais, deve-se a três razões: 1º- eu gosto de desenhar num formato panorâmico; 2º- dá uma certa unidade formal ao todo; 3º- serve a história.

Em relação à prancha 28, a tua sugestão também resultaria ... de facto, cheguei a ponderar essa hipótese quando a desenhei, mas acabei por preferir criar um efeito de leitura menos claro, mais ambíguo e exigente para com o leitor, indo ao encontro de outros aspectos mais ou menos herméticos da própria bd, como, por exemplo, a ausência de diálogos.

O aspecto cinematográfico não ficou só pela lay-out das pranchas. De todas as bd's em que trabalhei até hoje, esta foi aquela cujo processo criativo mais se aproximou da montagem de um filme: desenhei as cenas fora de sequência, redesenhei pranchas ou tira quando não me agradavam, deixei de parte outras cenas na fase de "montagem"... Enfim, as minhas bd's são os meus pequenos filmes caseiros, com a vantagem de não ter de me preocupar com orçamentos, actores, etc... :-)

9:13 PM  

Post a Comment

<< Home